Técnico Superior
EDP Labelec

Técnico Superior na EDP Labelec desde 2015, onde desempenha funções de responsável da monitorização dos elementos de qualidade biológica (macroinvertebrados bentónicos e fauna piscícola) e de acompanhamento e operacionalização dos programas de monitorização para a avaliação da qualidade ecológica em rios, associados aos títulos de utilização dos recursos hídricos de aproveitamentos hidroelétricos. Desempenhou funções na Autoridade Nacional da Água, Instituto da Água e Agência Portuguesa do Ambiente, onde, nomeadamente, colaborou nos trabalhos de implementação da Directiva Quadro da Água e Lei da Água em Portugal em águas superficiais interiores, em particular no desenvolvimento dos sistemas de classificação das massas de água, das metodologias de amostragem e análise de elementos biológicos e das tipologias de massas de água.

Sistema de Informação de Qualidade Ecológica

SIG: Criar um Futuro Sustentável | 16h10


A EDP Labelec desenvolve, desde 2009, a operacionalização de programas de monitorização para a avaliação da qualidade ecológica em rios, na envolvente de aproveitamentos hidroelétricos explorados pelo Grupo EDP. Este trabalho implica a recolha e análise de dados de diversos grupos de elementos de qualidade, como elementos biológicos (e.g. macroinvertebrados bentónicos e fauna piscícola), elementos hidromorfológicos e elementos químicos e físico-químicos, traduzindo-se na compilação de um volume de dados substancial.

No caso dos elementos químicos e físico-químicos a EDP Labelec dispunha e dispõe de um sistema de gestão de informação laboratorial (LIMS), enquanto que para os elementos biológicos e elementos hidromorfológicos não existia nenhum sistema que permitisse a agregação dos dados recolhidos no âmbito destes programas de monitorização.

Neste contexto, a EDP Labelec, em colaboração com a ESRI Portugal, procedeu ao desenvolvimento de um sistema de informação da qualidade ecológica, com o objetivo de: i) sistematizar os dados associados aos programas de monitorização, nomeadamente dos dados de base dos elementos de qualidade biológica e dos indicadores e classificações associados à qualidade biológica, hidromorfológica e ecológica; ii) proceder ao registo de dados no terreno e em laboratório (onde possível), nomeadamente no que se refere às fichas de campo e dados de abundância dos elementos biológicos; iii) proceder à importação de histórico de dados; iv) permitir a disponibilização e visualização da informação da qualidade ecológica de forma rápida e acessível.